Antepassado

Minha avó paterna

Maria Benedita da Mota

 

Nascida *

  o 14/06/1918

na Covilhã

Casada

  o 13/08/1947

na Covilhã, na freguesia de São Martinho

com

  Alberto de Sousa

Falecida

  o 23/11/2011 

em Mérignac (França)

Inhumada

  o 26/11/2011 

em Mérignac

 

* foi declarada a camara como tendo nascida no dia 25/06/1918.

Genealogia de Frédéric De Sousa > Ramo paterno - 3ra geração > Sosa n°5

 

Família

 Pai 

ico  António Pinto Duarte (10)

 Mãe 

 

Filhos

ico  Maria da Graça Mota (11)

-----

ico  Maria Benedita da Mota

 

ico  Luis Alberto (2)

ico  Victor (2b)

ico  Mário António (2c)

 

 

Nascimento

ico      Transcripção exacta do assento

 

As seis horas do dia vinte e cinco de mês de junho de mil novecentos e

desoito, nasceu na rua Maria da Fonte, freguezia de São Martinho,

desta cidade, um individuo de sexo feminino a quem foi posto o nome

de Maria Benedita da Mota, filha legitima de António Pin

to Duarte, de trinta e um anos de idade, casado, tecelão, et de sua es

posa Maria da Graça Mota, de trinta e um anos de idade,

domestica, ambos naturais desta cidade, onde residem na fregue

zia acima mencionada ; neta paterna de António Pinto Duar

te já falecido e de Mariana d'Assunção, e materna de António

da Costa Xista e de Maria das Dores Mota, já falecida. Foi

declarante o pai da registanda, cuja identidade e estado me

foram certificados pelas testemunhas presentes a este acto as

quais declararam não querer ser padrinhos : José Ferreira,

casado, tecelão, e Manuel Antunes Pais, solteiro, maior, empre

gado, residentes nesta cidade, os quais juntamente com o decla

rante, vão assinar este assento depois de ser lido perante todos.

A importancia dos emolumentos é de sessenta centavos, incluin

do a subvenção, e no extrato fica colado um selo de quinze cen

tavos, alem dos devidos das percentagems e contribuição industri

al. Covilhã e Repartição do Registo Civil, um de julho de

mil novecentos e desoito.

 

ico      Transcrição em português legível do assento

ico      Assento digitalizado

 

 

 

 

Casamento

ico      Transcripção exacta do assento

 

As seis horas do dia treze do mês de agosto do ano de mil novecentos e quarenta e sete na igreja paroquial desta freguesia de São Martinho concelho de Covilhã diocese de Guarda compareceram perante mim Padre António Parente en delegação expressa do Padre Joaquim Dos Santos Morgadinho paroco da freguesia os nubentes Alberto de Sousa et Maria Benedita da Mota com todos os papéis do estilo, e o respectivo certificado a que se refere o artigo sexto do Decreto-Lei número trinta mil seiscentos e quinze passado na Conservatória do Registo Civil de Covilhã, a trinta de julho do ano cuente, e sem impedimento algum para matrimónio,

ele de vinte e seis anos de idade, de profissão pintor, no estado de solteiro, natural e baptizado na freguesia de São Paio de Gramaços, concelho de Oliveira do Hospital e residente nesta freguesia de São Martinho na Traversa das Ripas filho legitimo de Manuel Mario de Sousa, jà falecido natural de Vila Pouca da Beira et de Maria dos Prazeres natural e residente na freguesia de São Paio de Gramaços

e ela de vinte e nove anos de idade, de profissão domestica, no estado de solteira, naturale baptizada nesta freguesia de São Martinho onde reside na rua Maria da Fonte et filha legitima de António Pinto Duarte et de Maria da Graça Mota, naturais de Covilhã, onde residem rua Maria da Fonte

os quais nubentes perante o oficiante acima mencionado e as testemunhas adiante nomeadas, declararam que de sua livre vontade desejavam celebrar, e de facto celebraram, o seu casamento, segundo as leis da Santa Igreja Católica. Declararam mais que celebravam o seu casamento segundo o regime de comunhão geral de bem.

Foram testemunhas presentes a todo este acto José da Graça Mota Pinto Duarte, solteiro, maior, empregado de escritório, residente nesta freguesia de São Martinho na rua Maria da Fonte, e António Maria de Sousa, casado, empregado de comercio, residente nesta freguesia de São Martinho na Traversa das Ripas.

E para constar, lavrei este assento em duplicado que depois de ser lido e conferido perante todos, vai ser assinado por mim, testemunhas e pelo nubente : José da Graça Mota Pinto Duarte, António Maria de Sousa, Alberto de Sousa, Padre António Parente, o paroco [...] Padre Joaquim Dos Santos Morgadinho.

Esta transcrição, cópia fiel do duplicado que fica arquivado, foi lavrada hoje nesta Conservatória ás nove horas e trinta minutos e vai ser assinada por mim Francisco Miguel Henriques da Silva, Conservador do Registo Civil, sem selo devido. Artigo trinta e dois e decreto trinta mil seisento e quinze.

Conservatória do Registo Civil de Covilhã, em dezoito de agosto de mil novecentos e quarenta sete.

 

ico      Transcrição em português legível do assento

ico      Assento digitalizado